Escritores que não leem

Outro assunto polêmico. Aliás, estou até com medo que alguém tire meu blog do ar, pois ultimamente tenho escrito muitas coisas polêmicas aqui (e aqui também). Mas enfrentarei o risco, porque “num guento” as coisas que acontecem comigo. Preciso falar.
Como sou professora de redação, frequentemente um escritor (a) iniciante envia seus textos originais para eu dar uma opinião técnica sobre sua escrita. Esses e-mails ou mensagens geralmente terminam com a pergunta:
“Professora, você acha que eu serei (ou sou) um bom escritor (a)?”
Oh! quem sou eu para definir a carreira literária de alguém? Porém, como sou cautelosa nas minhas respostas (e nunca as emito sem sinceridade técnica e incentivo textual), abstenho-me; e respondo essa pergunta com outras perguntas:
Há quanto tempo você escreve?
E qual sua frequência na leitura dos livros clássicos?
E, para minha surpresa, o tal escritor (a) responde:
“Escrevo há muitos anos, amo escrever!  Mas não gosto de ler. Quase não leio…”
Agora, meus amigos leitores, vou “psicografar” aqui meu monólogo interior quando leio uma mensagem dessa:
Oi? Como assim? Um escritor que não gosta de ler? Não entendi? É a mesma coisa de um engenheiro que não gosta de números. E um padeiro que não quer colocar a mão na massa do pão. Ou um médico que tem pavor de sangue! O que vou dizer para essa pessoa? DaiMePaciênciaSenhor!
Não se trata de gostar de ler — mas de necessidade de leitura. Ou você acha que Machado de Assis fez curso de escrita? E Olavo Bilac assistia aos vídeos no YouTube sobre como escrever bem? Pensa que José de Alencar tinha acesso aos blogs de escrita criativa? Não! Eles só tinham os livros. Liam — e reliam os clássicos. (Machadão lia até a Bíblia.) Não é à toa que Carlos Drummond de Andrade disse que é lendo os grandes clássicos literários que descobrimos nosso estilo textual e aumentamos nossa capacidade criativa.
E você não precisa ser PHD em Literatura para escrever bem, mas, no mínimo, a atividade de um escritor requer uma frequência e intimidade com seu principal material de trabalho — a palavra.
Claro, pode ler outros livros também, não somente clássicos. A leitura aumenta a capacidade lexical de quem escreve e desperta várias formas diferentes de redigir uma ideia, uma frase, um parágrafo, um livro… Clichê demais? Ou será que eu estou falando besteira? (Ajudem-me aí, amigos escritores!)
Dia desses, uma professora experiente disse para mim: “Quanto menos um escritor ler, melhor;  porque ele não sofrerá influências textuais.”  (Oooii???  MasGeeente!!!)
Questiono-me com tristeza por que raramente encontro livros contemporâneos textualmente talentosos? Por que muitos escritores de hoje apelam excessivamente para a sexualidade e sentimentalismo do leitor, a fim de vender mais? E por que dificilmente vemos inteligência literária nos autores atuais? Talvez a resposta esteja no título desse post.
 “Quem não lê, não quer saber; quem não quer saber, quer errar.”
Antônio Vieira (filósofo, escritor, orador e conhecido como o “Imperador da Língua Portuguesa”.)
Ler muito é um dos caminhos para a originalidade; uma pessoa é tão mais original e peculiar quanto mais conhecer o que disseram os outros.”
Miguel de Unamuno, poeta, romancista, ensaísta, dramaturgo e filósofo espanhol.

P.S.: Se o meu blog não sair do ar, continuarei falando sobre esse assunto (rsrs).

Elaine Rodrigues
Professora de Redação e Literatura
E-mail: eredigindo@gmail.com

Anúncios

10 comentários em “Escritores que não leem

  1. Oh God!! Sim, o escritor TEM que ler! Faz parte de sua profissão. Mais que isso, precisa ler com olhar de escritor, analisando técnicas e construções. Também fico chocada com esse tipo de declaração! P.S.: Adoro seus textos polêmicos! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  2. “Quanto menos um escritor ler melhor, porque ele não sofrerá influências textuais.”
    KKKKK… Já vi comentários desse tipo, é triste mesmo. Mas partindo dessa lógica teremos então que vegetar, pois recebemos influência de mundo, e a leitura é só um meio de recebe-las.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Nossa, Elaine. É tão cruel ouvir isso que dá vergonha alheia.
    Certa vez eu perguntei pra um conhecido ‘escritor’ (espero que ele não leia isso, mas com certeza não lerá) qual autor ele gosta ou se influencia; ele disse: Ah. Eu me influencio por séries da Netflix… Ok, né..
    Li o livro dele; foi uma experiência esperada pela afirmação que ouvi. Enfim, tive cautela ao comentar certas estruturas de capítulos, tentei ajudar na questão do texto. Ele aceitou de boas.
    Não sou mestre, (ainda) mas acho que escritores de ficção têm de ler ficção. Tanto como, escritores de fantasia têm de ler fantasia; ou de ficção científica, ler afins das referentes.
    É lamentável.. chega a ser hilário.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s